Webnode

Ranking do AVA (ambiente virtual de aprendizagem)

Última atualização 28/11

6º ano 7º ano 8º ano
1º Mateus - Gallotti 1º Roberto - Gallotti 1º Masialine - Gallotti
2º Jose L. Thebe 2º Mateus B. - Gallotti 2º Raquel - Gallotti
3º Thais D. Galotti 3º Stefany S. Thebe 3º Andreia B. - Gallotti
4º Gian F. - Thebe 4º Bruna E - Gallotti 4º Leide G. - Gallotti
5º Melissa H.. - Gallotti 5º Wesley V. - Thebe 5º Ines M. - Gallotti

 

Brincando e aprendendo

 

Na escola Senador Gallotti os alunos aprenderam sobre os 3 R's de forma divertida. Depois de conceituar cada uma dos 3 R's os alunos reutilizaram muitos dos materiais que iriam para o lixo para desenvolver brinquedos reciclados.

Com o auxilio da tecnologia puderam buscar diversas ideias de como reaproveitar o material reciclado dando novos destino e dessa forma enriqueceram o aprendizado de forma significativa.

 

Investigando o filo artropodes

 

O alunos do 7º ano da escola senador Gallotti tiveram um dia de verdadeiros perquisadores, cheios de curiosidade e vontade de ampliar seus conhecimentos percorreram toda a escola busca de representantes do filo artropodes.

Eles encontraram os animais, identificaram, descreveram, desenharam e catalogaram os artropodes encontrados na escola. Em breve, esse conhecimento será utilizado para o desenvolvimento do projeto para a feira de ciências "Insetos, vilões ou vítimas.

Sejam bem vindos alunos ao ambiente thebeciencias.

Que o ano de 2014 seja repleto de alegrias e claro, muito aprendizado, abaixo uma história para nos levar a refletir sobre nossas atitudes.

Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhora idosa:
- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que
sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente.
A senhora pediu desculpas e disse: - Não havia essa onda verde no meu tempo.
O empregado respondeu: - Esse é exatamente o nosso problema hoje,
minha senhora.
Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso ambiente.

- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se
preocupou adequadamente com o ambiente.



> Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.

> Realmente não nos preocupamos com o ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.

> Nós não nos preocupávamos com o ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.

> Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?

> Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.

> Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.

> Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos.

> Canetas: recarregávamos com tinta tantas vezes ao invés de comprar outra. Amolávamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte.

> Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.

> Então, não é risível que a atual geração fale tanto em "meio ambiente", mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?

Agora que você já leu o desabafo, envie para os seus amigos que têm
mais de 50 anos de idade , e para os merdas que tem tudo nas mãos e só
sabem criticar os mais velhos.

Cavernas de Botuverá - Parque unipraias

No dia 19 de abril, os alunos do 6º ano da escola Tirolesses em timbó tiveram um dia diferente. Sairam da escola em direção as cavernas de Botuverá, onde desceram e subiram por 738 degraus visitando a formação das estalactites, e descobriram que essas formações levam mais de 100 anos para crescer 1 cm.

Dentre essas informações eles puderam observar o clima, fauna e flora que se formam no interior da caverna e em seu entorno. Logo depois da visita nos dirigimos para o parque unipraias, onde os alunos puderam passear de bondinho, yahooo e tirolesa e também tiveram claro uma maravilhos aula nas trilhas ecológicas do parque. Aprenderam sobre a fauna e flora da mata atlântica e porque é tão importante preservar.

Veja as fotos:

 

 

 

contador de visitantes

Palavras-chave

  1. -


Horta suspensa, solução para a falta de espaço


 
Não existe mais desculpas para não se ter uma horta em casa por falta de espaço, depois dessa ideia de fazer uma mini-horta em garrafas pet. mais

Estudando forças - Fazendo força

 

Na escola São Roque no municipio de Timbó os alunos da 8ª série aprenderam alguns conceitos de forças na prática. mais...

 

Veja mais fotos

Projeto Tamar - Florianopolis

 

No dia 05 de setembro os alunos da escola São Roque do municipio de timbó tiveram uma dia diferente. Viajaram para a cidade de Florianopolis onde visitaram o projeto Tamar. mais...

 

 

Veja outras fotos

Energia sustentável

 

As Nações Unidas elegeu 2012 o Ano da Energia Sustentável Para Todos, e a escola Thebe não poderia ficar de fora, para isso durantes os meses de junho, julho e continuando em agosto muitas atividades visando trabalhar o tema foram propostos. mais

Veja outras fotos